Colaboradora: DRA. Maria Elena Gageiro Soares

O Dep. de Saúde Bucal da SMS/NH realiza em parceria com a Liga Feminina de Combate ao Câncer de Novo Hamburgo e com o Dep. de Patologia da Faculdade de Odontologia da UFRGS a 19ª Campanha de Prevenção ao Câncer de Boca, na cidade de Novo Hamburgo. O Evento realizar-se-á no dia 07 de maio de 2016 (sábado), das 9:00h às 14:00h, no Espaço Albano Hartz – Calçadão Oswaldo Cruz – Centro. Serão realizados 300 exames de boca gratuitos, para pessoas acima de 35 anos.

O Câncer de Boca é um tumor maligno que se desenvolve a partir de lesões na região bucal como lábios, língua, palato (céu da boca), gengiva, tonsila (amígdala) e glândulas salivares. Estas lesões se manifestam através de feridas, caroços, inchaços, áreas de dormência, sangramentos sem causa conhecida, dor de garganta incessante, entre outros sintomas.   Apresenta-se no seu início como uma ferida indolor aparentemente inofensiva e que não cicatriza em duas semanas. Estas feridas podem ocorrer em forma de ulcerações superficiais com menos de 2 cm de diâmetro, podendo sangrar ou não, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas podendo ocorrer em toda cavidade oral, porém tem localização preferencial no lábio inferior, assoalho da boca e borda da língua.

Cabe ressaltar que o Câncer de Boca na sua fase inicial tem cura é de fácil diagnóstico, feito através do exame da cavidade oral, dispensando a ajuda de aparelhos mais sofisticados.  Mesmo assim a maioria dos casos é diagnosticada tardiamente, com um grande número de casos da detecção da doença em fase avançada, tornando o tratamento mais difícil e muitas vezes mutilador.

Portanto é fundamental conhecer os fatores de risco para se prevenir ou reduzir danos da doença, e dentre estes o fumo e o álcool são os principais fatores de risco externo.  O tabaco está associado a 90% dos casos de câncer bucal em homens e a 60% em mulheres. O álcool está associado a 55% dos casos.  A exposição excessiva ao sol pode provocar não somente o câncer de pele como também o câncer bucal, principalmente nos lábios.  Outros fatores são: irritação mecânica crônica (uso de próteses mal adaptadas); alimentação pobre em vitaminas e minerais (principalmente a vitamina C); higiene bucal deficiente.

Através do AUTOEXAME da boca, a pessoa conhece mais a sua boca e detecta qualquer alteração logo no início. Mas nem toda lesão encontrada é câncer.  Caso haja alguma alteração esta deve ser observada por duas semanas, caso persista, deve procurar um dentista ou médico para maiores esclarecimentos.

Maria Elena Gageiro Soares, CD CRO-RS 7260.  Dep. Saúde Bucal- SMS/ NH.
Fonte: SES/RS; INCA.