Colaboradora: DRA. NAHOMARA E. VIEIRA BECK

A Importância da Amamentação para o desenvolvimento de uma Dentição normal.
A freqüência das anomalias dentárias nos proporcionam provas convincentes de que o número de crianças portadoras de mal oclusões é cada vez maior. Podemos considerar a atrofia do sistema mastigatório produto da falta de função, nutrição ou fatores externos.
O progresso da civilização trás neste terreno, influência no sistema mastigatório. É notado que entre os homens de raça primitiva, que empregavam seu sistema mastigatório sem restrições, não são encontradas as anomalias funcionais que encontramos nos homens civilizados de hoje. As más oclusões podem iniciar muito cedo, pois é bastante elevado o número de recém nascidos que não tem o período da lactância normal. Muitas vezes, não porque a mãe queira diminuir o período de amamentação, e sim pela transformação que o organismo feminino está sofrendo em conseqüência dos acúmulos das obrigações e afazeres que trazem os grandes centros. O organismo feminino não tem leite suficiente, muitas vezes, para amamentar uma criança até os nove meses- um ano de idade aproximadamente, que seria o ideal.
Ao nascer a criança apresenta um degrau de 8 a 10 mm entre a maxila e a mandíbula, com a mandíbula posteriorizada em relação à maxila. Este degrau ósseo deve ser anulado até o momento da erupção dos dentes decíduos. É o ato da amamentação, feito no peito da mãe, através dos movimentos de vai e vem da mandíbula, que posicionam as duas bases ósseas corretamente. A pressão que é feita entre o ducto mamário e a cavidade bucal da criança permite a saída do leite e o selamento labial sobre o mamilo não permitirá alteração na pressão da saída do leite para a boca. Todo o músculo do Sistema Estomatognático tem ação durante o ato da amamentação. Eles estimulam o crescimento e desenvolvimento dos ossos envolvidos para depois executarem a função mastigatória tão importante no próximo período da vida.
Quando a criança faz uso de mamadeira, os estímulos que partem da boca em especial da ATM, ficarão abolidos, e resultará na falta de crescimento póstero-anterior mandibular. A mamadeira não obriga a protrusão e a retração da mandíbula. Com a mamadeira a criança aprende a engolir errado, de uma forma que perde a sincronia com a respiração. Não realizando e exercício muscular corretamente, ao erupcionar a primeira dentição, o tônus muscular será deficiente, e conseqüentemente será grande a possibilidade de respirar pela boca. O desenvolvimento das estruturas da face é de grande importância e a amamentação natural é fundamental, para o crescimento correto. Aos dois anos e meio, com a dentição decídua completa, as bases ósseas bem posicionadas, os dentes decíduos executarão corretamente a mastigação, e a respiração fisiológica será nasal, o que contribuirá para o desenvolvimento de uma face harmoniosa.

Dra. Nahomara E. Vieira Beck – Cirurgiã Dentista
Odontopediatra / Ortopedista Funcional dos Maxilares / CRO 3245